segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Coxinha Vegana

Caríssimos!

Vos coloco a versão vegana de um dos pratos mais típicos (e gordos) da história da culinária, encaminhada por Alexandre Borges. Sim meus caros, veganos também comem porcarias gordurosas! pois é, também fique surpreso...

abs

-----


Coxinha de buteco (Vegetariano)

Ingredientes:

Para a Massa:
- 500g de farinha
- 1 litro de água
- 150g de margarina vegetal
- Tempero pronto (Sugiro Sazom laranja, o que serve para massas)

Para “empanar”:
- Leite e Ovo
- Ou (Para uma opção vegana) Ferva 200g de linhaça e terá o mesmo resultado.
- Farinha de rosca

Para o Recheio:
- 200g de proteína de soja pequena
- Sal e alho para temperar
- Manjericão picado
- Salsa
- Pimenta calabresa
- shoyu
- Azeitonas picada
- Palmito picado
- Cebola picada
- Catupiry (Opcional)

Modo de preparo:

- O Recheio:
Primeiro é preciso começar pelo recheio porque enquanto a massa estiver sendo feita, o recheio vai esfriando e isso facilita na hora de montar. A soja é um tanto difícil de pegar sabor e sair o peculiar aspecto de isopor amarelinho com gosto de nada. Para isso primeiro em uma panela média colocar água até a metade, com um pouco de sal e óleo e shoyu, assim que estiver borbulhando colocar a soja e deixar ferver em fogo baixo até criar uma espuma branca. Depois desse processo é preciso lavar a soja bastante até a água sair branca. Pronto, agora não existe mais isopor, só um ótimo ingrediente a ser temperado, é preciso escorrer bem a água da soja, tentando mante-la o mais “enxuta” possível, aperte bem com as mãos que a água sai fácil.

Colocar todos os temperos, Manjericão, Salsa, Pimenta, alho e sal. Misturar bem até que a soja pegue o sabor, depois disso em uma frigideira antiaderente colocar pouco óleo, deixar esquentar bastante e colocar a soja para fritar. A soja suga todo líquido então o óleo irá sumir, para fritar bem e não ficar encharcado é preciso ir apertando a soja com uma colher, de preferência de pau para não estragar sua frigideira. O ponto da soja é quando ela fica com um tom avermelhado. Para essa quantidade de soja acredito que uns 5 minutos em fogo baixo já é o suficiente. Após fritar a soja, reserve, frite a cebola, o palmito e a azeitona e reserve junto a soja e deixe  esfriando.

- A Massa:
Em uma panela grande, adicione a água, espere começar a esquentar e adicione a margarina, após dissolver a margarina adicionar o tempero pronto e vagarosamente ir adicionando a farinha de trigo e lembre de não parar de mexer, essa é a parte mais importante, não pode deixar ficar bolhas de farinha, você vai precisar de força no braço para ir mexendo e atenção para não esquecer nenhuma parte o ponto da massa é quando ela para de grudar na panela e começa a ficar difícil de mexer. Depois disso, despeje toda a massa em uma superfície lisa e fria, espalhe e deixe esfriando um pouco.

- A Montagem:
O processo de montar a coxinha é algo terapêutico e precisa de muita atenção e cuidado se não a coisa não funciona, primeiro coloque a farinha de rosca em um prato ou forma grande o suficiente para você rolar a coxinha por ela, depois em um pote ou vasilha funda coloque o leite e o ovo e misture, ou se for uma coxinha vegana é só pegar a água da linhaça (após ela estar fria). Isso vai servir para a coxinha “segurar” a farinha de rosca e então ficar empanada e com a gosto de felicidade.

Aqui existem algumas opções, pode-se espalhar pela mão colocar o recheio e fechar a coxinha dando à massa o comum formato ou fazer bolinha e abrir uma parte para colocar o recheio e moldar ou é possível até encontrar formas para coxinha em mercados que torna o processo bem mais fácil. Eu, particularmente, prefiro espalhar pela mão e ir moldando, para isso pegue um pouco de massa e espalhe pela mão e não deixe a massa ficar muito fina se não quando for fechar a massa vai rasgar e seu recheio vai vazar.

Coxinha recheada, fechada e devidamente moldada, passe-a pelo leite com ovo rapidamente para molhar por completo e role a mesma pela farinha de rosca e pronto, sua coxinha está pronta e empanada.

- Para fritar
Use bastante óleo (Sim é uma receita gordurosa, mas gordura é vida e felicidade, então tudo fica bem no final). Deixe o óleo bem quente, frite e seja feliz.

Observações:
Para saber se o óleo está quente o suficiente, coloque uma colher de pau, ou uma varetinha, pode até ser um palito de dente ou de fósforo se da madeira começar a sair umas bolhas é que o óleo está quente o suficiente.

Esta receita rende cerca de 20 coxinhas (grandes) e como o comum é comprar no mercado pacote de farinha de trigo de 1kg já é desculpa de fazer duas vezes a mesma receita.

E um desafio, se você é daqueles que come a coxinha pela “ponta” experimente começar a comer pelo “fundo” é mais fácil de chegar ao recheio e você não vai ficar sofrendo de ansiedade para chegar a essa delícia caseira.

E como é uma coxinha de buteco, uma boa cerveja para acompanhar sempre vai cair bem.

Essa receita custa em média uns 25 a 30 reais, e rende bastante, vale a pena fazer e deixar congelada para ir comendo durante a semana ou de uma só vez tomando aquela cerveja com os amigos em um sabadão.


Um comentário:

  1. Manolo, parece que fica legal, mas não abro mão de uma cacarejante

    ResponderExcluir